Introdução Alimentar

Sabe-se da importância de amamentar exclusivamente o bebê nos primeiros seis meses de vida, porém a partir deste momento, a amamentação não garante as necessidades nutricionais, tornando necessária a introdução de alimentos complementares. Mas lembre-se que, apesar disso, o leite materno deve ainda ser oferecido até os 2 anos de vida.

A introdução de alimentos é um período delicado para o bebê e mamãe. Será apresentado a ele novas texturas, temperaturas e sabores. Por isso, é importante paciência e consciência dos pais e/ou cuidadores nessa nova fase.

Os alimentos devem ser introduzidos um de cada vez. A quantidade deve ser pequena e observar por 2 ou 3 dias, se não houve reação. Repetir o primeiro alimento ofertado, após 3 a 4 dias, se não houver reação, a quantidade por ser aumentada. Não misturar muitos alimentos de uma só vez, e variar entre eles, permitindo que o bebê se acostume com menor probabilidade de rejeição e reação alérgica. As refeições devem ser feitas em ambiente calmo.

Iniciar a introdução por papas de frutas, que devem ser oferecidas no período da manhã, entre a 1ª e 2ª mamada. Qualquer fruta pode ser utilizada, desde que a criança aceite e não apresente intolerância ou reação alérgica. Considerando a imaturidade fisiológica e funcional, tanto do trato gastrointestinal e imunológico, a introdução alimentar com maior potencial alergênico, ou seja, com proteínas de difícil digestibilidade, só deve ser feita após o 1º ano de vida. Se a criança for filho de pais alérgicos, somente após o 2º ano de vida. Esses alimentos são: leite de vaca e derivados; leite de cabra; soja; trigo; amendoim; clara de ovo; peixes, frutos do mar, oleaginosas; frutas cítricas (família da laranja: laranja lima, mexerica, limão, tangerina, apenas após o 1º ano) e milho.

As frutas devem ser muito bem lavadas, sem casca, raspadas ou amassadas com garfo (não utilizar liquidificador), tomando cuidado com pedaços para o bebê não engasgar. Não há necessidade de adoçá-las. O mel só deve ser utilizado após o 1º ano de vida, pois pode causar botulismo e possui potencial alergênico.

Após alguns dias, ofereça a papa de fruta também no lanche da tarde. Ofereça na colher, em pequenas quantidades e vá aumentando aos poucos, conforme aceitação. Pode ser oferecido suco de frutas naturais sem açúcar nesses horários.

Papa doce de pêra e ameixa fresca

Ingredientes:
1 pera madura descascada;
1 ameixa fresca in natura madura descascada.

Modo de preparo:
Lave as frutas em água abundante, friccionando-as com as mãos ou escovinha (exclusivamente para essa finalidade). Deixar de molho em solução de hipoclorito (seguir orientação do produto) por pelo menos 10 minutos. Depois coloca-las em solução de água com vinagre (2 c.sopa / litro) por 10 minutos, para retirar o excesso de hipoclorito. Mesmo as frutas que serão descascadas, devem ser lavadas em água corrente. As frutas orgânicas têm menor quantidade de agrotóxicos e maior quantidade de protetores do organismo, porém os cuidados com a higienização deverão ser os mesmos.
Descasque-as, amasse-as com o garfo ou raspe-as com ajuda de uma colher e misture-as. Sirva na hora.

Não percam a próxima edição, continuaremos falando sobre introdução alimentar com dicas de papas salgadas.

Escrito por Stella Massi, nutricionista, graduada pelo Centro Universitário São Camilo e pós-graduanda em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria Nutricional. @sanmassi.nutri

Jogo De Pratos Zoo Dinossauro Skip Hop , Talheres Take Toss The First Years Copo de Transição Rosa Munchkin